"O estilo nem por sombra corresponde a um simples culto da forma, mas, muito longe disso, a uma particular concepção da arte e, mais em geral, a uma particular concepção da vida." (Leon Tolstoi)

21 de jul de 2010

Lenços e Turbantes

Conta-se que na vinda da família real para o Brasil, em 1808, os tripulantes do barco foram acometidos por uma praga de piolhos. Para resolver a situação todos tiveram de raspar suas cabeças. As mulheres nobres, entre elas D. Carlota Joaquina, para causarem boa impressão à nova terra, amarraram lenços na cabeça, o que causou impacto aos habitantes daquele território. Porém, como a moda era ditada pela nobreza, nasce no Brasil à moda do lenço na cabeça. Já o turbante tem origem desconhecida, mas estima-se que no oriente usavam-se turbantes antes do islamismo. Nos anos 60 as mulheres aderiram à moda dos turbantes, porém as amarrações eram diferentes das usados no oriente.

Lenços e Turbantes

Dentre os tradicionais acessórios usados na cabeça, encontramos os lenços e turbantes, que reassume seu lugar de destaque na moda atual.
Versátil e prático, o lenço de cabeça proporciona um realce especial ao rosto e complementa tanto um visual descontraído como um mais social.Os lenços e turbantes são fáceis de amarrar, podendo esconder toda a cabeça ou deixando parte do cabelo à vista, são uma ótima opção para aquelas que têm uma agenda sobrecarregada e não sobra muito tempo para ir ao cabeleireiro.
A diferença em os lenços e os turbantes está no tamanho. O turbante é bem maior que o lenço e quando amarrado a cabeça apresenta um volume maior.

Razões para se usar lenços de cabeça ou turbantes

São diversas:
  • Praticidade: é muito fácil vestir um lenço de cabeça. É leve e ocupa pouco espaço para se carregar na bolsa, no caso de uma eventual emergência.
  • Ideal para um dia chuvoso ou outra eventualidade como uma forte ventania. Carregando com você na bolsa em poucos minutos você transforma o visual e se protege de ficar com a aparência desarrumada.
  • São perfeitos para outono e inverno. Além de compor o "look", ajuda na proteção do frio.
  • Para aquelas que, por motivos de saúde ou tratamentos (quimioterapia e radioterapia), perderam os cabelos, é uma alternativa charmosa e elegante.


    Tipos de lenços

    Os lenços podem ser lisos para quem adota uma linha mais clássica, mais discreta, podendo ser da mesma cor da roupa ou tom sobre tom. Para as mais criativas e ousadas, pode-se escolher tons que contrastem com o resto do visual. Ainda, os estampados podem ser usados com peças que tem a mesma linha de desenhos. Para estampas diferentes a dica é usar xadrez com listras, xadrez com bolas, bolas com listras sempre observando tons harmoniosos. Simples, com franja, com viés, tipo turbante, com faixas ou tiaras, os lenços são opções econômicas e que valoriza seu visual.

    Dicas:

    • Use cores que ilumine e realce seu rosto
    • Capriche na maquiagem, porque usando o turbante, seu rosto fica em foco.
    • Os lenços compridos são indicados para mulheres altas.
    • Procure lojas que possuem modelos prontos. São excelentes para a correria diária porque já vem com indicações de amarrações prontas.
    Eles tem o poder de sofisticar o visual, vejam:
    Grace Kelly, Audrey Hepburn e Jacqueline Kennedy Onassis sabiam usar foulards como ninguém. Mas, muito antes delas os lenços já eram fundamentais no guarda-roupa feminino. Você sabia que ele se tornou indispensável nos séculos 17 e 18, quando os decotes ficaram mais ousados e os vestidos não protegiam das baixas temperaturas? Item clássico que nunca mais saiu de moda, ele ultrapassou o funcional para emprestar charme aos looks, mostrando ser fácil ficar elegante sem muito esforço.
    Nos períodos Barroco e Rococó, os lenços representavam uma maneira de exibir bordados e se aquecer.

    Em 1937, a Hermès lançou seu primeiro lenço de seda estampado. Ode ao bom gosto perpetuado por ícones de elegância.

     Este tipo de amarração na cabeça ficou conhecido como “Grace Kelly Style”

    Audrey Hepburn evidenciou sua paixão pelo acessório ao trocar a grinalda pelo lenço no seu casamento com o psiquiatra italiano Andréa Dotti, em 1969. Chique de Doer!!


     Meninas, use-os se quiserem, completar, levantar ou sofisticar o seu visual. Eu adoro e assino em baixo. Amarrem-se! Bjos

    Bazar Jardins!


    Boas compras! Bjos

    Papo Sério: Incomode-se.

    "Já reparou como nunca imaginamos que algo extraordinário acontecerá em nossas vidas, nem de ruim, nem de bom demais? Conosco, nunca um acidente grave acontecerá (por isso somos tão descuidados em alguns detalhes: filho pequeno no banco da frente do carro, cigarro, excesso de comida, falta de gentileza, e por aí vai), tampouco teremos sorte grande na loteria. A tragédia só acontece com o vizinho. E é dele a grama mais verde também.

    É assim porque preferimos continuar sempre no mesmo a arriscar um vendaval que só os deuses sabem onde vai dar. Administrar o nosso feijão-com-arroz é mais seguro; as coisas já estão, male-male, no controle. Nos condicionamos a ficar cada vez melhores em evitar que a vida nos surpreenda: fazemos exatamente as mesmas coisas todos os dias, mantemos os mesmo hábitos, gestos, postura, tudo para garantir os resultados de sempre, mesmo que seja para lamentar depois (vai entender!).

    Nossos desejos nascem daquilo que não temos, claro, e podem variar entre uma família feliz e um transplante de coração, uma casa na praia, um casamento idealizado, um prêmio Nobel. E o que torna todas essas coisas impossíveis? Falta de coragem? Preguiça?

    Engraçado como poucas vezes nos damos conta de que arriscamos tantas realizações em nome das coisas mais banais da vida. Trocamos a vontade de mais sucesso (que exige empenho) pela novela das 8. Invejamos aquele corpo magro e saudável, mas nos afogamos em pizza com Coca-cola. Todos os dias! E numa passividade que nos encabula todo final de ano ou aniversário (épocas em que fazemos "aquela" revisão).

    Mudar não é nada fácil, a gente sabe. Entretanto, como nem tudo está perdido nessa vida, existe um treino capaz de levantar uma poeira nova. O problema é que não tem receita pronta, mas se eu puder dar uma dica, uma única que seja, aqui vai ela: incomode-se. O incômodo, se alimentado com movimento, gera mudança. Mas, olha lá, heim? Não é para incomodar os outros ou, simplesmente, lamentar as mazelas sentado na poltrona. Nietzsche dizia que "a vontade é impotente perante o que está para trás dela". Portanto, além da vontade, é preciso ter determinação e muita, muita coragem para contrariar nossas resistências.Boa Sorte!"

    Acácia Lima- Escritora

    PS: Divido este texto com vocês.. Lulus de Plantão incomodem-se..Bom Dia!!