"O estilo nem por sombra corresponde a um simples culto da forma, mas, muito longe disso, a uma particular concepção da arte e, mais em geral, a uma particular concepção da vida." (Leon Tolstoi)

4 de ago de 2010

Lookbook caseiro?

Lulus fashionistas de plantão, vocês já conheciam?

Aqui no Brasil o lookbook.nu http://lookbook.nu/ não é tão popular como outras mídias, tais como orkut e twitter.
A proposta desse site é permitir que cada usuário publique em seu perfil seus looks diários, com o propósito de aproximar e inspirar os adeptos e fissurados por moda e imagem.
O arquivo do site é tão extenso e as atualizações instantâneas que é bem fácil ficar horas viajando nos perfis.

Fica a dica!

Por Maíra Thums

Vejam algumas Imagens:


A Moda Descondicionada - Por Jefferson Kulig

Passei  a admirar  Jefferson Kulig, quando conheci seu trabalho na SPFW, desde então venho seguindo-o," literalmente", e a cada dia que passa a admiração só faz aumentar...rss
Identifiquei-me com este post em seu blog, divido com todas vocês. Para Refletirmos!

"A moda tem um processo de nos condicionar a consumir tudo que se produz, estar na moda atráves do Marketing.
O marketing da moda diz:
  • - Compre isso…
  • - Use aquilo…
  • - Vá em tal lugar…
Tudo isso tem a função de gerar mais consumo, ganhar mais dinheiro.
No meu modo de fazer moda procuro descondicionar as pessoas, através de desfiles com conceitos, ou pelo questionamento de…

VOCÊ USA ROUPA OU DESIGN!

Fazer pensar… Refletir… No nosso dia-a-dia, quando sobra um tempo para estar só, procura-se rápido algo para fazer, para evitar de se pensar.
Sempre fiz esse exercício, que hoje faz parte da minha vida. Isso porque sempre fiz as coisas muito sozinho. Na moda sempre viajei sozinho para pesquisar, daí questionava as coisas, assimilava, sem receber influência de outras pessoas que andam com a gente. Porque nós já recebemos influência de +
Experimente andar, ir ao cinema, pesquisar moda, etc… com você mesmo.
Acho que você pode se surpreender."

Jefferson 
http://jeffersonkulig.com.br/blog/



 E a pergunta que não quer calar?!


 S'imbora pensar?


Bjos

Iara Lee- Voz Ativa

Lulus de Plantão..Bom Dia!
Recebi alguns e-mails com pedidos para postar alguns trechos da reportagem com a Iara Lee, ( militante social e cineasta ), confesso já li e reli esta reportagem inúmeras vezes e sempre descubro algo novo.
Referência de coragem, determinação e consciência social.

"Muitas pessoas me perguntam porque a Palestina? e então emendam: "porque você?" O que desejam saber, no fundo, é quem eu acho que sou para ter a pretensão de ajudar a mudar o mundo.
(..) "acho sinceramente que, se as pessoas compreendessem melhor uma as outras, hesitariam em declarar guerra e estariam mais abertas às diferenças. Não sou muito família no sentido tradicional da coisa, e, diferente das minha irmãs, não tive nem pretendo ter filhos biológicos. Também penso que a vida é muito curta para eu desperdiça-la preocupada apenas com meu conforto e bem-estar."
Quando uma bomba de fragmentação é lançada no ar, ela se abre e libera bombas menores... ... muitas vezes nas mãos das crianças que pensam ter encontrado um brinquedo que brilha." 
 Sem dúvida foi com o povo Palestino que estabeleci os laços mais significativos."
 No navio, convivendo com aquelas pessoas, estava mais à vontade do que jamais estivera em minha vida. Eram pessoas iguais a mim, com os mesmos desejos, o mesmo comprometimento. Nunca as tinha visto, mais sabia que estava entre amigos."
 Depois da tragédia, os sobreviventes  tinham direito a fazer uma ligação para a família.... .... liguei para minha assistente, para ela passar meu protesto político e pedi que avisasse a família que estava viva."
A essa altura já entreguei minha vida para defender a paz com justiça... ... suponho que  seja assim que eu me conecto com a humanidade. Sei que minha escolha tem um preço e pago por ele conscientemente."
 Claro que dói quando ligo para minha mãe e a primeira coisa que ela diz é " que bom que você está viva." Ou quando percebo que , em dez anos, vi minha família apenas dez vezes. Mas não se pode ter tudo. Acredito que seja essencial que nós jornalistas e cineastas, não tenhamos medo de estar no lugar errado na hora errada para relatar as tantas atrocidades que ocorrem por aí. Precisamos ter consciência que , se não o fizermos, ninguém o fará."

Iara Lee

Essa mulher faz a diferença! 

Inspirem-se!