"O estilo nem por sombra corresponde a um simples culto da forma, mas, muito longe disso, a uma particular concepção da arte e, mais em geral, a uma particular concepção da vida." (Leon Tolstoi)

7 de jun de 2010

Casa de Criadores - Resumão de Tendências

1º dia:
A marca Der Metropol abriu o primeiro dia de desfiles com foco no segmento masculino, de Mario Francisco, optou por uma moda mais comercial, os tecidos usados eram leves e tem a cara da marca. A estampa de pena que é uma forte tendência para o verão 2011 aparece com força total nos tons cinza e azul, praticamente toda a coleção é marcada por tons neutros.Mario mantém a identidade da marca usando modelagens simples e mais usáveis. A inspiração da coleção é o Egito, que transita entre a cultura egípcia e releituras déco da arte egípcia no Edifício Chrysler, em Nova York.
O que mais me chamou atenção na coleção egípcia de Mario Francisco foram os acessórios assinados por Márcio Krackhecke. Colares de ankh, anéis que lembravam pirâmides e um dos óculos da Der Metropol pra coleção Chilli Beans + Casa de Criadores. Os anéis, que também foram parar na nossa Wishlist do primeiro dia, foram meus preferidos da Casa.


A marca Purple, que abrange o universo do segmento beachwear, está sob direção de Weider Silveiro e Mark Greiner e apostou em elementos que adoram o corpo perfeito, o chamado "corpo multilado". Eles apresentaram peças de praia com marcações de cirurgia plástica, e buscaram inspiração na rainha pop bizarra "Lady Gaga".

A marca R. Rosner usou como inspiração as bonecas russas, as queridas “mamuskinhas”. Ele usou um mix de elementos: renda, tule, pérolas, bordados, transparências em algumas peças e plumas, trazendo a tona o romantismo para suas peças.  
O estilista Jadson Ranieri quis abordar o homem e a mulher contemporâneos. Ele cria uma atmosfera andrógena no desfile e  usa referências dos Dândis do século 19. O estilista fez uma releitura da chemise e a transforma em um vestido branco com modelagem de camisa masculina.
Geraldo Couto deixou clara a sua inspiração nas mulheres etruscas, com o resultado nas silhuetas fluidas, vestidos de um ombro só , túnicas, tons azulados, terra cota,  o abuso dos dourados e as sandálias espartanas.

2º dia:
O segundo dia de casa foi marcado pelos desfiles do projeto Lab de Luiz Leite, Gabriela Sakate, Juss, Cynthia Hayashi, Yoon Hee Lee e  os da casa de criadores Rober Dognani e Gêmeas.
Luiz Leite estreou no projeto Lab. Ele buscou inspiração na jardinagem e apostou em tecidos ultra orgânicos com uma pegada eco-sustentável. Mesmo com o objetivo de ser ecologicamente correto, o estilista não deixou de lado suas propostas de design, paleta de cores e os estudos formais da coleção. O desfile é marcado por jardineiras (que são os hits da coleção). Elas aparecem com pequenas variações. As lavagem do jeans são as mais claras possíveis. O estilista optou por camisetas bem arejadas e regadas muito cavadas, próprias para o nosso verão regional.

Yoon Hee Lee, foi a estilista que teve a estreia no projeto Lab mais esperada do evento. Seu desfile foi o mais conceitual do segundo dia de evento. Ela usou o conceito, desde a  escolha do tema até as suas construções super elaboradas. O tema escolhido pela jovem estilista foram as viagens astrais. Para materializar seu tema em algo real, Yoon usou transparências, sobreposições, volumes que ultrapassam os limites do corpo, assimetrias e múltiplas estruturas. Como Yoon é muito boa com acessórios, ela criou um sapato incrível em termos de formas repetições. Ela usou a mesma ideia de sobreposição, colocando um solado acima do outro. Yoon também tem uma qualidade incrível de saber lidar muito bem com materiais muito simples e inusitados, como materiais de construção civil, como telas e metais.
Gabriela Sakate também estreou no Lab e buscou inspiração no trabalho do designer Jaime Hayon. O desfile é marcado por tecidos leves vestidos com fragmentos da alfaiataria, macacões e calças. O branco é a cor predominante da coleção, as outras cores (nude bronze e alaranjado e preto), apareceram nos paêtes.
A marca Juss, de Juliana Souza se dedica inteiramente ao universo de moda masculina. Ela se inspirou na cultura das gangues dos mods e teddy boys, dos anos 50 e 60. A estilista apostou em cores mais "rebeldes" e em uma alfaiataria cool e mais contemporânea. A coleção é marcada por shorts com cores mais "moderninhas", terninhos e camisas ajustadinhas ao corpo. Ela desfilou t-shirts e regatas bem diferênciadas por estampas.
A jovem estilista Cynthia Hayashi se inspirou no filme o "O Escafandro e a Borboleta" e obteve como resultado uma coleção extremamente feminina. Ela é de uma habilidade com as proporções fora do comum. Apostou em curtos e justinhos, com um pouco de volume no quadril. A coleção fala de delicadeza, beleza através dos tules, franzidos, babados e transparências.
As gêmeas nessa temporada arriscaram em novas matérias e novos mixes. O objetivo das estilistas era de trabalhar a dualidade. Elas bebem na fonte desse conceito e criam peças diferentes a partir de uma mesma modelagem. No desfile apareceram calças, jaquetas, curtinhos, misturando tecidos como linho, brocado e tafetá. O desfile estava lindíssimo.
Rober Dognani arrasou no desfile de verão 2011. A sua coleção mostra que brilhos e assimetria são uma boa pedida pela próxima temporada. Ele deixa a tendência escancarada quando coloca uma metade saia e uma metade calça, vetidos com um ombro só e camisas com golas desconstuídas. Ele abusa dos babados, drapeados e plissados.

3º dia:
 O terceiro dia de casa foi marcado pelos desfiles de Gustavo Silvestre,  Arnaldo Ventura,  Danilo Costa, Karin Feller e Walério Araújo. Esse foi um dia "festivo" para a casa, pois além da abertura super animada do desfile de Gustavo Silvestre, houve a comemoração de 40 anos do estilista Walério Araújo, em seu desfile, que encerrou o evento.
O desfile de Gustavo Silvestre tinha uma alusão feita ao étnico. O tema escolhido pelo estilista foi os blocos carnavalescos de Olinda. A cartela de sua coleção era muito ampla e viva. Ele trouxe esse clima para a coleção e o desfile, através da trilha carnavalesca e estampas ousadíssimas. Suas peças eram justinhas e amplas. Ele usou a modelagem saruel, vestidos mais desgrudados do corpo com franjas(que é uma referência folclórica), muito patchwork, shorts, calças com aberturas laterais, e aplicações de camurça estonada. Ele usou matérias resinadas e brilhos na cor dourada.
O estilista Arnaldo Ventura escolheu como tema Iemanjá e o mar. Sua coleção foi destinada a dois segmentos: masculino e feminino. A parte masculina  da coleção é composta por tons neutros e modelagens de alfaiataria, ajustadas ao corpo. As calças apresentadas pelo criador, são curtas, pescador e ou capri, porém para o universo masculino (talvez ai uma tendência de verão?). Os paletós eram ajustados com amarrações (como cintinhos marcando a cintura), alguns não possuíam botões. Mesmo se tratando de uma coleção masculina ele apostou em transparência.  Já no universo feminino dele, aparecem vestidos estruturados. Ele aposta em alguns longos bem fluidos nos tons coral e turquesa. Para estampa, ele cria uma digital de cordas amarradas com o aspecto estonado.
Danilo Costa pensou na sua coleção através do tema navy e a intitulou de "Not just a summer love". Suas estampas eram um pouco infantis, mas graciosas. Usou um bordado incrível em forma de âncora e botões dourados (referência que vem dos uniformes de marinheiros). Ele usa tons muito suaves e sua coleção expressa extrema delicadeza e poesia. Assim como os botões, as modelagem são inspiradas no universo naútico com paletós mais compridos e coletes. Nessa coleção, o menino de ouro aposta em blazers com um bom corte e macacões.
A jovem criadora Karin Feller aposta em um verão cheio de babados e lacinhos (bem romântico). A mulher de Karin é inocente e independente. Ela buscou inspiração através da imaginação, sobre como seria um piquenique em um sábado à tarde. Nesse desfile, ela vem com uma visão de coleção mais comercial, aposta em assimetrias, geometria, recortes e cores muito agradáveis. Ela acerta muito bem e faz uma harmonia de cores perfeita para o verão, com a cara da mulher que idealiza. Essa é sem dúvida uma coleção muito agradável de ver.
O estilista de guerra da casa Walério Araújo, apresentou uma coleção com cara de festa de criança. Sorvetes, brigadeiros, pipas, pirulitos, com direito até a caixas de presentes montando as cabeças e styling do desfile. Esses motivos apareciam como estampas, tudo isso tornava a coleção muito animada e colorida. Ele sugere botas 7/8 com estampas coloridíssimas, como tendência para o verão. As silhuetas eram justas e com volume no quadril, a mulher idealizada por  Walério Araújo é sempre muito sexy em todos os quesitos. Agora ela aparece com essa mesma conotação, mas quando o assunto é estampa ela fica ingênua.

Nenhum comentário: