"O estilo nem por sombra corresponde a um simples culto da forma, mas, muito longe disso, a uma particular concepção da arte e, mais em geral, a uma particular concepção da vida." (Leon Tolstoi)

20 de abr de 2010

Entrevista Flávia Lacerda fala de moda para gordinhas do Brasil!

Ela é linda de morrer e...gordinha! Fluvia Lacerda, para quem ainda não sabe, é modelo plus size. Ou seja, participa de catálogos e editoriais de moda de roupas para mulheres que vestem tamanho grande. Já foi capa de revistas e garota-propaganda de marcas renomadas no exterior, que é onde ela faz mais sucesso.
Na contramão das modelos esqueléticas das passarelas, ela vem cada vez mais chamando atenção pelo corpão curvilíneo - e cheio de saúde! - e pelo rosto perfeito. Conversei com ela para uma matéria sobre um novo programa de moda e exclusivo para gordinhas que estreia no sábado na CNT, o Fashion & Plus. Falamos de moda, de preconceito e dos gostos pessoais da Fluvia que também costuma andar na contramão dos "ditos" da moda. Não porque não usa o que é tendência, mas porque usa balonê, usa branco, usa roupas mais ajustadas, sim, e tudo com muita elegância.
Acompanhe o nosso bate-papo sobre moda:

DSM - Acha que o mercado da moda está mais receptivo para as mulheres acima do peso? Consegue encontrar roupas com facilidade?


Fluvia Lacerda - O mercado “plus size” já é estabelecido de forma sólida em muitos lugares, como EUA, Europa, México, Austrália e Turquia, entre outros. No Brasil, a demanda definitivamente existe e aos poucos as consumidoras estão aprendendo a reivindicar o direito de se vestir bem de forma que o mercado está sendo forçado a acordar. Trata-se de um processo inevitável. Quando iniciei o meu trabalho no Brasil, ouvi muitos “não” de revistas e estilistas, mas segui em frente. Aos poucos, minha história se espalhou por todo o Brasil e comecei a receber centenas de e-mails de mulheres que viram em mim uma inspiração, uma porta-voz que falava a verdade até então oprimida. Um ano após o começo de tudo, já sinto que o mercado brasileiro mudou bastante e que o assunto se espalhou de uma forma muito positiva. Mas precisamos mais do que isso. Precisamos que grandes marcas invistam nesse setor para que ele comece a ser competitivo. O meu sonho é que um dia brasileiras possam ter tantas opções quanto as que temos aqui fora.

DSM - Acredita que contribuiu de alguma forma para que as mulheres plus size passassem a se enxergar mais bonitas e atraentes?

Fluvia Lacerda -  Recebo muitos agradecimentos de mulheres por expor essa idéia de que beleza vem em diferentes formatos. Esse tipo de reconhecimento parte de todo o tipo de mulher, desde as mais cheinhas até mesmo das magras que sofrem com a pressão de estar sempre lutando contra a própria natureza do seu corpo para manter um biotipo ideal, porém, irreal. Pessoalmente essa é uma das partes mais gratificantes do meu trabalho: saber que tenho um impacto positivo na vida de tantas pessoas e que sirvo de inspiração para muitas mudarem suas vidas.

DSM - Você é uma mulher que parece não seguir as "regras" do que cai bem ou não para mulheres mais cheinhas. Usa vestidos balonê, roupas brancas e, no entanto, fica linda com elas. Acha que as 'mulheres GG' devem ser mais livres para usar qualquer tipo de roupa?

Fluvia Lacerda - Quando o assunto é moda acredito que conhecer bem o seu corpo é a chave para saber o que mais valoriza suas curvas, seus seios, quadril etc. Quando você se conhece, combinar estilo e conforto torna-se uma tarefa fácil. E claro, não podemos deixar o bom senso fora de questão. No caso das gordinhas, escolher peças muito apertadas, além de ser desconfortável, também é muito deselegante. Brinque com as cores. Geralmente, a tendência é se apegar a um guarda-roupa repleto de peças escuras ou pretas. Mas, sabendo escolher os modelos certos, é possível fazer várias combinações lindíssimas, elegantes e coloridas.

DSM - Que peças das últimas tendências mais gosta de usar?

Fluvia Lacerda - Sempre amei moda, me arrumar, estar bem vestida e acho que isso cresceu ainda mais quando me mudei pra NY, onde as pessoas curtem o aspecto de se expressar através da forma que se vestem. Hoje, mais do que nunca, curto me vestir bem, inventar meu próprio estilo, misturar peças antigas com novas, femininas com algo mais roqueiro. E tendo uma variedade de opções onde posso comprar peças superlegais e modernas pro meu tamanho, torna tudo bem mais divertido. 

2 comentários:

Daiana disse...

Adorei a entrevista, acho que quanto mais tiver divulgação do trabalho da Flavia e tbm de outras modelos, as pessoas aqui no Brasil vao começar a se acostumar com a idéia de que existem valores sagrados em cada mulher indiferentes do peso desas..

Miss Myla disse...

Muito BOM!!! As mulheres mais "cheinhas" tem muita dificuldade de se vestir, quanto mais dicas e opções para elas melhor!! ;-)