"O estilo nem por sombra corresponde a um simples culto da forma, mas, muito longe disso, a uma particular concepção da arte e, mais em geral, a uma particular concepção da vida." (Leon Tolstoi)

8 de jun de 2010

Fashion Rio Segundo Dia-

Os eleitos do Lulus.. poucas grifes conseguem partir de um segmento específico para se tornar ícone de estilo como a Redley. A marca de surfwear vem trabalhando com sucesso a sua entrada no terreno da moda, não é de hoje Melhor: sem perder a personalidade.
Sua espinha dorsal é a intensa pesquisa têxtil, que transformam peças simples do imaginário esportivo em desejável guarda-roupa do futuro. Na passarela de sal grosso armada no Píer Mauá, Carol Trentini abre o desfile com um simples short cáqui de barra dobrada e um poderoso overcoat de vinil. Mesma ideia em um look masculino, em seguida.
Aglutinando design esportivo e corte de alfaiataria, a equipe que assumiu após a partida do estilista alemão Jüergen Oeltjenbruns parece estar seguindo uma cartilha de rigor técnico. No bom sentido. Entre os highlights: uma incrível linha de peças em nylon de diferentes gramaturas e texturas; translúcidos, foscos e brilhantes.
Tem ainda neoprene elástico, tyvek estampado floral e um reaproveitamento de vela de windsurf. Os sintéticos contrastam com os mais naturais, como sarja, algodão, seda (na coleção feminina), linho (na camisaria masculina) e couro colorido. Tudo numa suave cartela de tons envelhecidos: rosa-seco, pêssego e beringela.
Os tecidos não são costurados, mas construídos com recortes selados, numa técnica tomada emprestada de uniformes náuticos. Nos pés, iate de cano alto e anabelas de sola tratorada. Pode usar.


O desfile da Lenny no Fashion Rio. Olho nela. Vestia um maiô de camurça com lycra, pintada à mão para um aspecto de "lona envelhecida", pespontada com barbante cru. Este é o tom geral da apresentação, de tons manchados como se pelo tempo, toques naturais e cartela de beges e marrons.
Mesmo com este efeito natural, a tecnologia está presente. Como já havíamos cantado a bola aqui no Chic, os pontos altos foram mesmo as peças desenvolvidas com a expert em couro Patricia Viera. De camurça sintética vinda do Japão, podem molhar sem problema, só não podem ser torcidos. No seu acabamento há uma película metalizada para simular o movimento da areia.
Ao invés das esvoaçantes saídas que servem como armadilha para qualquer desfiles de moda praia (ninguém usa de fato), uma novidade: a saída frente-única. Também de camurça, é feita com couro de cabra (esta não pode ser molhada, só escovada). Novos também os babados invertidos criando formas arrojadas.
Mais difícil é o bandage com estampa de paisagens, em Izabel Goulart. Nem pense em tomar sol assim, mas o efeito é sexy e traz um pouco de fetiche a uma coleção tão serena da estilista. Outras estampas são florais abstratos e gráficos animal prints, pintadas à mão.
As peças lisas são construídas com drapeados estratégicos nas mangas e nos decotes, às vezes virando capuz. Tem até um maiô de gola rulê que você nunca imaginaria, mas ficou bom na passarela. É a mão de Lenny Niemeyer.

Nenhum comentário: